Quarta-feira, 15 de Julho de 2009

21-05-2008

Já passaram 4 meses desde que cheguei... agora a meta são os 5 meses...

 

No dia 18 (dia preciso do "aniversário"), tive uma grande dor de barriga depois do jantar... tive que vomitar tudo para ficar melhor... com uma diarreia das piores a acompanhar...

 

Nesse mesmo dia que tinha sido começado praticamente a chorar de grande frustração... porque nem sempre é fácil "estar em missão", porque nem sempre correspondemos às nossas próprias expectativa, porque nem sempre é fácil viver 24h por dia com alguém que não nos é nada e que vem do outro lado do mundo (ou quase), e ainda porque a tensão pré-menstrual é uma coisa que me afecta significativamente...

 

Mas lá passaram os 4 meses, vamos a caminho dos 5... e depois vêm os 6, que significa chegar a meio da caminhada... e eu com a sensação de que ainda não fiz nada!

 

Primeiro porque acredito que a minha missão até agora tem sido de preparação pessoal, de limar as minhas arestas mais difíceis... e só depois de essa tal pessoa voltar para o outro lado do mundo (ou quase) é que vou conseguir projectar a minha missão, a minha experiência, mais para o exterior.

 

Depois, porque o meu trabalho aqui não é propriamente aquele trabalho que uma pessoa jovem leiga, que parte em missão, idealiza.

 

Vim de espírito aberto, com a consciência de que deveria estar preparada para fazer o que fosse preciso...

 

E aconteceu que o meu trabalho aqui é mesmo "fazer o que for preciso", desde estar com a população, a estar com outros missionários, passando também muito por acolher hóspedes (na sua maioria estrangeiros), por preparar encontros, por tratar de algumas questões burocráticas, por cozinhar... enfim, "o que for preciso".

 

Mas se até certo ponto isso era frustrante e me fazia sofrer, com o passar do tempo fui percebendo que é um trabalho que também tem a sua beleza... e mais importante: que alguém tem que fazer; e neste momento, esse alguém sou eu.

 

Depois, outro problema é que todos os trabalhos que faço, não têm horários, nem dias certos, e ipor vezes, isso deixa-me um pouco perdida. Porque é acordar, ver o que é mais necessário nesse dia e fazê-lo, e só depois fazer as outras coisas.

 

Aí entra também o ritmo do próprio país, em que tudo se altera muito facilmente. O que agora é de uma forma, pode não sê-lo daqui a breves momentos.

 

Mas, no fundo, tudo é uma questão de tempo.

 

Com o tempo - tempo de estadia, tempo com os outros, tempo connosco mesmos, tempo de choros, de risos, de reflexões - vamos conseguindo encontrar o caminho que devemos seguir para não nos perdermos.

 

Com o passar do tempo, vamos conseguindo encontrar a melhor forma de lidar com as situações; vamo-nos desconstruindo do que eramos para construirmos um novo eu, mais adaptado àquela que é agora a nossa realidade.

 

Vamos também conseguindo entrar mais na dimensão da espiritualidade... numa certa mística, que será a nossa segurança nesta nova realidade cheia de inseguranças para o nosso "eu".

 

É essa espiritualidade que nos permite ser fortes o suficiente para avançar, sem ter medo... e passamos a sentir que de todas as vezes que deixamos de ser místicos, que nos afastamos da nossa espiritualidade, nos sentimos inseguros, e que é aí que desesperamos, pois é aí que deixamos de ter o nosso "porto seguro"; ou melhor, não deixamos de o ter, mas afastamo-nos dele, e quase nos perdemos.


sentido por Anjo da Noite às 22:56
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 26 de Dezembro de 2007

Projectos e incertezas

 

não tenho aparecido por aqui... a minha vida tem andado a mil à hora...

estou a concretizar um projecto muito desejado... aliás, estou a tratar dos últimos preparativos para esse projecto...

um projecto de voluntariado... de um ano... na guiné-bissau...

são curiosos os inúmeros pensamentos que nos ocorrem quando nos vemos a deixar tudo para trás... a renunciar à nossa cómoda vida (já cheia de imprevistos) para vivermos um ano de incertezas sobre tudo e que nos abrirão as portas para um resto de vida também muito incerto...

mas que fazer quando a própria incerteza nos fascina?

lindo... lindo viver, trabalhar, conviver sem interesse... sem pensar no que vamos receber, se estamos a trabalhar mais do que a hora, se estamos a ser bem pagos ou não... poder dar mais de nós, sem que isso implique uma "obrigação", mas sim um "compromisso"...

loucura? talvez... em tempo de crise, de desemprego, de "apertar o cinto", deixar um emprego estável, uma vida minimamente organizada e adequada às responsabilidades, um nível de independência bastante bom... para ir para o meio do nada, com nada e, à primeira vista, para nada...

sem dúvida que comparando com aquilo que tenho, por pouco que seja, vou mesmo para o meio do nada... por outro lado, qualquer coisa que vá fazer, por muito que seja, significará praticamente nada, relativamente ao monstro de necessidades que existem...

então porquê? porquê? sinceramente, também não sei explicar muito bem... sei apenas que é o que quero, e que reflecti bastante sobre isso... também sei que medos e dúvidas acompanhar-me-ão, pelo menos, até ao dia da partida... ou, quem sabe, até ao dia do regresso...

mas, se reflectirmos um pouco mais ainda, medos e dúvidas acompanham-nos desde o dia em que nascemos... até ao dia de hoje...

talvez num amanhã, muito distante, nos venham as certezas... não sei. Sei que até hoje, tive algumas, mas poucas... enquanto que as dúvidas foram sempre surgindo... e, sinceramente, desejo que continuem a surgir.

venham as dúvidas, os medos, a Guiné-Bissau e o resto da vida... e cá estarei para ver o que acontece e fazer o que for preciso.


sentido por Anjo da Noite às 20:16
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Anjo da Noite


ver perfil

seguir perfil

. 6 seguidores

pesquisar aqui

 

Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sinto...

21-05-2008

Projectos e incertezas

Senti...

Outubro 2011

Junho 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Dezembro 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Junho 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

links