Domingo, 22 de Junho de 2008

Longe de casa...

Por estes dias fez 5 meses que cheguei à Guiné... exactamente os mesmo 5 meses desde que saí de casa...

Sair de casa não significa apenas deixar o espaço físico em que vivemos... Quando se sai de casa, perde-se toda a segurança do lar, da família, dos amigos, da rotina e de todo um sistema a que estamos habituados. E, se o fazemos, e' porque somos loucos ou então porque temos fortes motivos para o fazer. Ficar longe de casa significa ficar longe de tudo o que nos da' a confiança de que necessitamos para viver o nosso dia a dia.

  Assim, quando se parte para longe, parte-se com um objectivo… com motivações… com expectativas… criamos imagens, situações, idealizamos um sonho de vida, apesar de termos plena consciência de que não será' fácil. 

Temos tendência a dizer que partimos de coração aberto, que acolheremos tudo o que recebermos em termos de cultura, atitudes, maneiras de ser, de fazer, de estar e de agir… não e verdade! Quando chegamos, apercebemo-nos da grande quantidade de expectativas que criámos, de tudo o que idealizámos… e prova disso, são as frustrações que muitas vezes temos por aquilo que vivemos não coincidir com aquilo que imaginámos viver ou que quereríamos viver…

  Por outro lado, não adianta dizer que sabemos que não será' fácil, pois não imaginamos o quão difícil poderá' ser…
Quando dizemos que sabemos que teremos momentos difíceis, em que pensamos afinal? Nas saudades? Na frustração de vermos que o nosso trabalho não tem resultados imediatos? Sim, tudo isso acontece… mas não são os momentos piores.

Com as saudades aprendemos a lidar desde que nascemos… e a frustração de não ver resultados, acaba por ser compensada pelos “resultados” que vemos noutros campos: nas relações com as pessoas, na partilha que vivemos… o pior são os outros problemas… que podem surgir por mil e uma razoes, e com que nem sequer sonhamos.
No fim de contas, são problemas semelhantes aos que temos por casa, e talvez por isso se tornem tão negativos e tão frustrantes – e' que quando partimos, achamos que deixaremos os nossos defeitos em casa, achamos que seremos perfeitos a viver num mundo perfeito… mas, surpresa das surpresas, toda a nossa personalidade vai connosco, todos os nossos defeitos nos perseguirão e nos trarão muitas complicações.

  Mas deixemo-nos das coisas menos boas… se tudo isto e' negativo, também tudo isto provoca em nos algo muito positivo:  trata-se de um profundo trabalho de auto controlo, auto conhecimento; de aprendermos a estar sos com o nosso eu, a reflectir e a meditar… e a ter muita, muita paciencia.

Todas estas dificuldades nos levam a limar algumas das nossas arestas, coisa que nunca fariamos na proteccao das nossas “casas”… de facto, temos que amadurecer muito, aprender a ter calma, a respeitar o tempo e o espaco das pessoas – mesmo que muitas vezes não coincida ou que entre em choque com o nosso.

  E depois, ha' todo um conjunto de diferencas a contemplar em tudo o que nos rodeia... o que podemos aprender e' infinito... e belo! Ha' momentos unicos, que so podemos ter “longe de casa”...
 Muita gente fala no “espirito africano” que contagia e cativa qualquer pessoa que o sinta – confirma-se. E' algo que não tem explicacao, que se sente no ar, nos cheiros, nos ritmos, nos rituais, nos sorrisos e nas paisagens... algo que inunda todo o nosso ser e nos faz sentir bem e querer fazer parte de tudo isso que nos rodeia.

Temos tendência a habituarmo-nos de tal forma ao que nos rodeia, que fazemos deste o nosso c. Por vezes e' preciso parar para olhar... para sentir...

  Aprendemos muitas coisas longe de casa, desprotegidos – aprendemos outras formas de viver, de sentir, de pensar... e aprendemos principalmente a questionar e a relativizar... aprendemos a dar valor a coisas que antes punhamos de parte... e aprendemos a viver a solidao... 

No fim de contas, e' como se nascessemos outra vez... somos como criancas a descobrir o mundo que nos rodeia... uns dias rimos com as surpresas, outros dias choramos com as quedas ou os medos... mas o que importa e' que, aos poucos... vamos crescendo...

 

 

 21 de Junho de 2008


sentido por Anjo da Noite às 20:47
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Il Conte a 22 de Junho de 2008 às 23:03
sim, percebo isso muito bem, ja passei por isso varias vezes na vida. mas afinal viver assim, como tu estas a fazer agora, tem muito mais sabor. nao estamos neste mundo de ferias, estamos aqui para aprendermos liçoes. ainda ontem li uma coisa que achei uma grande verdade:
" a esperiencia é uma professora dura, primeiro obriga-nos a fazer o exame, e somente depois do exame é que nos oferece a liçao" (Vernan Law)
Gostei: viver, fazer experiencias, é como enfrentar exames sem ter tido a possibilidade de estudar primeiro a liçao.
Ou entao, como dizia o grande actor de teatro italiano, eduardo de filippo : " na vida os exames nunca acabam"
Tudo de bem para ti.
ah....nao estas "sozinha" na Guiné, ok? Eventualmente estas "single".


De Mguel a 21 de Novembro de 2008 às 12:06
Ola.

Apenas comento para dizer que me encaixo nas suas palavras, isto porque sai recentemente do meu habitat normal, da minha rotina,do meu conforto,das pessoas que amo, enfim...
Estou em França, a receber um estagio para ir trabalhar para uma empresa do grupo em Portugal.
Na primeira semana, mal comi, chorava no meu quarto a noite,sentia e sinto um aperto muito grande no coraçao, algo que nao consigo explicar, uma dor amarga...cheguei a perguntar-me a mim proprio "mas o que estou aqui a fazer","devo ser maluco,a esta hora esta toda a gente na suas camas,com as suas mulheres,namoras e eu aqui!!!!"
Nunca pensei que me estivesse a custar tanto estar ca, tenho condiçoes maravilhosas de trabalho, estou a morar numa zona premiun,onde os carros dos vizinhos so Aston Martim,Porsche,Audi...e casas que parecem de sonho, pergunto-me "mas porque que estou assim meu deus,a familia em portual esta bem.Porque estou eu assim, com este aperto!!!!"
Estou a tomar um calmante, em principio estive em duvida para tomar, mas a realidade é que faz efeito.
Desculpem este meu desabafo se assim se pode chamar, mas tinha que o fazer.


Alguma coisa que possa ajudar,por favor disponham.
m.sf@portugalmail.pt


Comentar post

Anjo da Noite

pesquisar aqui

 

Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Sinto...

Porque sim..

Fim do Infinito

Noite vazia

O sonho comanda a vida......

...

Não tenho.

Viver... porquê?

Senti...

Outubro 2011

Junho 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Dezembro 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Junho 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

links