Quarta-feira, 15 de Agosto de 2007

...

vida frágil... bela, majestosa , poderosa... mas frágil... à mercê de um sopro do vento... de uma onda do mar... de um abraço da terra...

vida intensa, valiosa... que nos permite tudo, que só por meio dela podemos alguma coisa...

que é a nossa força, o nosso alento, o nosso recomeçar a cada dia... o nosso projecto, em que tudo investimos desde o segundo em que nascemos, desde o primeiro respirar...

 

projecto grandioso, dispendioso, pelo qual sofremos muitas vezes, mas que é o único que nos permite também sorrir, ser feliz...

 

por isso se torna tão difícil quando esse projecto que é a vida de cada um, é abalado por um qualquer fenómeno... acontecimento... ou problema... é difícil ver e aceitar que esse projecto a que tudo damos possa ser posto em causa... ou mesmo em risco...

 

e quando isso acontece logo surgem a frustração, o desânimo, a tristeza... sentimos impossível a nossa realização pessoal... a valorização do nosso projecto...

 

é necessária prudência mas também um pouco de extravagância na elaboração do grande projecto que é a vida... é necessário ter consciência de que há uma aura de fragilidade a pairar sobre tudo o que nos rodeia, que por mais que pareça que está tudo bem, devemos ter consciência que no momento seguinte pode ficar tudo mal... é certo que não devemos deixar de viver a vida e continuar a investir nela ao máximo a cada segundo, mas não podemos esquecer que tudo o que nela pode ser fortaleza tem também o seu lado de fraqueza... que quanto mais intenso for o momento, e mais alto e nobre o sentimento, também maior será o sofrimento...

 

assim, sem medo, mas com respeito, devemos viver cada dia ao máximo... e ao máximo significa aproveitar cada toque dessa vida que nos impele, não fazendo tudo o que nos aparece pela frente impulsivamente, mas sim deliciar cada passo, cada caminho, metro por metro, e cada meta atingida, para que quando o vento soprar, uma onda se formar, ou a terra abraçar, possamos mesmo assim sorrir, por sabermos que não deixámos escapar um degrau de escada ou um milímetro de estrada que fosse, porque soubemos acompanhar a vida quando ela estava no seu auge.

para...: todos os k amam a sua vida...
tags: ,

sentido por Anjo da Noite às 12:10
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Emanuela a 21 de Agosto de 2007 às 19:07
Transmites muito bem os sentimentos em palavras. Parabéns! É muito agradável ler-te.Um abraço!


Comentar post

Anjo da Noite


ver perfil

seguir perfil

. 6 seguidores

pesquisar aqui

 

Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sinto...

Porque sim..

Fim do Infinito

Noite vazia

O sonho comanda a vida......

...

Não tenho.

Viver... porquê?

Senti...

Outubro 2011

Junho 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Dezembro 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Junho 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

links